.comment-link {margin-left:.6em;}

sexta-feira, abril 08, 2005

 

Uns inventam; outros prosseguem...

Registo aqui, e agradeço, a crónica de Eduardo Prado Coelho, publicada hoje no Público, sobre a festa dos 40 anos das Publicações Dom Quixote

"Fidelizar". É uma palavra que tem aspectos extremamente positivos. Sabemos que temos ali um amigo, alguém com quem se pode contar, mas sobretudo um estilo. E um estilo é um conjunto de traços que fazem que um determinado código ou convenção se individualize e tenha marcas pessoais. Um estilo é uma maneira de estar no mundo, não totalmente subjectiva, mas a começar a subjectivar-se. Há algo de profundo e algo de mundano em termos um estilo. A vida é uma questão de estilo. O que nos define em configurações sociais é um estilo. As polémicas são muitas vezes questões de estilo: pretendo impor o meu estilo contra o teu estilo. Reconheces o meu estilo? O meu estilo não é algo de muito denso, não é qualquer coisa que tenha um peso específico: é um mover de olhos, é um conjunto de gestos, é uma inflexão da voz, é um bater de asas, segundo uma determinada cadência.Quando alguém consegue fidelizar os outros, é fundamentalmente através do seu estilo. O que nos fica da memória de uma pessoa é esse estilo. O que morre com ela é também esse estilo. Quando a vemos numa fotografia, e sobretudo em televisão ou filme, é um estilo que ficou a pairar.As Publicações Dom Quixote festejaram o seu aniversário. Ao fim de tantos anos, é uma referência. Algumas das revelações de ficção da minha vida devo-as à Dom Quixote: gostaria de lembrar Milan Kundera, Marguerite Yourcenar, J. M. Coetzee, Salman Rushdie, Danilo Kis (infelizmente pouco conhecido). Vargas Llosa, Carlos Fuentes, Marguerite Duras, um Günter Grass de que não gosto. Christa Wolf, Nina Berberova, Jorge Volpi, V. S. Naipaul, Ubaldo Ribeiro, Chico Buarque, e mais recentemente "Memória das Minhas Putas Tristes" (com uma capa que me parece desastrada) de Garcia Márquez. Quero ainda sublinhar: um autor brasileiro estranho e perturbante, que fiz tudo para divulgar em Portugal, Bernardo Carvalho, e o meu escritor americano preferido, Philip Roth. São apenas alguns nomes. Qual é a editora que tem um elenco tão impressionante de autores de qualidade? E sobretudo que está atenta à literatura brasileira, italiana ou de língua castelhana, ou alemã, num saudável equilíbrio com os autores de língua inglesa?Mas a Dom Quixote tem ainda obras de reflexão ensaística (por exemplo, Savater) ou de filosofia pura e dura (como Richard Rorty). Tem a ligação estável com alguns dos melhores autores portugueses. como Maria Velho da Costa, Manuel Alegre, Mário Cláudio ou mesmo escritores mais jovens como Mafalda Ivo Cruz ou Inês Pedrosa. E tem vindo a publicar poesia da melhor qualidade (em particular, "obras completas" que são extremamente valiosas como peças bibliográficas). Se juntarmos a isto um grafismo personalizado de Henrique Cayatte e Rita Múrias e uma relação de amizade com os autores extremamente viva, percebemos como a editora que Nelson de Matos soube inventar e que João Rodrigues prossegue e desenvolve foi fidelizando autores e leitores. Por isso a festa foi uma festa.


Comments:
Então é assim, encontrei-o. Sem saber. Sem querer. Querendo muito saber de si e se me quer encontrar.Será? Saudades.
 
Por favor consultar o meu perfil, onde se encontra contacto.
 
engraçado como temos tantos amigos comuns...por ex. o H.Cayatte... mas vim só dizer q a deficiência d navegação mt restrita é insabedoria técnica. não sei inscrever links e fico dependente do joão...por mim gosto é de andar a viajar e fico enraivecida quando quero aportar e não sei...um dia. um dia talvez me apeteça mt aprender. bjs. até.
 
( Manifesto em Divulgação )


O Manifesto do oPILAdeGRILO: O ERRO

As sociedades que colocam restrições aos Direitos Cívicos das mulheres conseguem, SEM EXCEPÇÕES, alcançar a renovação demográfica.

As sociedades penalizadas com a incapacidade de renovação demográfica são precisamente, SEM EXCEPÇÕES, as sociedades aonde as mulheres são dotadas de toda a liberdade e independência.

Portanto, está universalmente provado que as mulheres são dotadas de muito pouca disponibilidade emocional para se envolverem num Projecto de Luta pela Sobrevivência!...

Mais, as mulheres possuem uma grande apetência para a Bandalheira: quando são questionadas sobre o problema demográfico que existe nas sociedades aonde as mulheres dispõem de TODA a liberdade e independência ( exemplo: países europeus )... as mulheres respondem que esse problema deve se resolvido pela imigração... nomeadamente, por imigrantes provenientes de sociedades aonde a liberdade e independência das mulheres são reprimidas !?!?!

CONCLUSÕES:
1º- É necessário consciencializar os homens de que VÃO TER QUE SER ELES que têm de realizar o grande esforço de Luta pela Sobrevivência;
2º- A investigação ciêntifica, tendo em vista a criação de Úteros Artificiais ( ... e Bancos de Óvulos... ), deve ser considerada uma INVESTIGAÇÃO PRIORITÁRIA pela comunidade internacional!
( nota: deve-se promover não um, mas sim, 3 modelos de família:
-------- a) modelo de família tradicional;
-------- b) modelo de ' família monoparental feminina ' - modelo que já existe;
-------- c) modelo de ' família monoparental masculina' - modelo a desenvolver no futuro..., quando qualquer homem, de boa saúde, possuir o direito de ter filhos independentemente de encontrar ( ou não ) uma mulher que o aceite )


P.S. A Libertação da Mulher foi um ERRO! Explicando melhor, só devia ter acontecido APÓS o desenvolvimento de Úteros Artificiais..., pois todos os povos devem possuir o Direito à renovação demográfica!

((((( Os Piladegrilos NÃO reconhecem às Mulheres AUTORIDADE MORAL para possuirem o MONOPÓLIO da decisão de quem é que tem, e de quem é que não tem, o Direito de ter filhos!!!... Portanto, é do interesse dos Piladegrilos ( de boa saúde ) insistir na divulgação deste Manifesto )))))
 
olá, perdi o mail... falamos um destes dias?bj.
 
Uma outra forma de falar de literatura: http://www.icicom.up.pt/blog/muitaletra/
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home